Início » Aprenda a Cultivar Orquídeas em Casa

Aprenda a Cultivar Orquídeas em Casa

Orquídeas são plantas famosas por conta da sua utilidade como objeto de decoração, já que apresentam flores muito bonitas. Por serem exóticas, elas possuem algumas características que variam das demais plantas e, dessa forma, exigem uma série de cuidados diferenciados.

A maioria das pessoas querem cultivar orquídeas em casa ou em apartamentos e, neste caso, a primeira coisa a se fazer é entender qual é o melhor lugar para colocá-las. Se você é uma dessas pessoas, fique atento a essas informações, pois elas ajudarão a sua planta a crescer de forma adequada e saudável.

Onde colocar sua orquídea?

O local mais comum que as pessoas escolhem para colocar o vaso de orquídea é em cima de uma mesa no centro da sala. Porém, esse não é nem de perto o lugar mais adequado. Algumas orquídeas precisam de condições especiais que requer, em alguns casos, a criação de uma área dedicada especialmente para esse cultivo. Por isso, você precisa verificar 4 pontos principais na hora de selecionar o local onde pretende colocar a sua planta: a luminosidade, temperatura, ventilação e a umidade.

Luminosidade Ideal

Geralmente, os cultivadores ou floristas afirmam que quando a orquídea não está florescendo é preciso “dar mais luz a elas”. O florescimento não depende apenas da quantidade de luz, mas a luminosidade é sim um dos fatores essenciais para que elas consigam produzir flores lindas e saudáveis. Portanto, você deve estar muito atento à questão da iluminação.

O segredo está em pensarmos como a planta se comportaria se estivesse na natureza, no seu ambiente natural. Nas árvores, graças ao movimento das folhas e galhos, as orquídeas recebem luz durante todo o dia, mas não de forma direta. É como se elas recebessem uma “luminosidade filtrada”. Isso demonstra que as orquídeas precisam de um filtro na iluminação para crescer bem.

Ao escolher um local, em casa ou no apartamento, coloque-as perto das janelas, porém de uma forma que não fiquem expostas diretamente ao sol. Você pode fazer isso utilizando as cortinas como um filtro protetor, por exemplo.

A questão da luminosidade realmente é muito importante. Você vai precisar estar atento e monitorando sempre o local onde colocou suas plantas para ter certeza se é mesmo o lugar adequado. As orquídeas podem dar alguns sinais de que a iluminação está ou não ideal, por isso, é necessária atenção para perceber algumas mudanças:

– Se aparecer folhagens amarelas, o local está com excesso de luz;

– Se as folhas ficarem escuras, está faltando luz no ambiente. Como consequência, as folhas podem ficar mais longas e a planta pode não florescer.

Está vendo como não é complicado? Quando a iluminação for adequada, as folhas vão estar sempre com o tom de verde claro, tamanhos similares e brilhantes. Acertar na iluminação é essencial para que haja lindas flores brotando regularmente.

Cuidados com a Temperatura

As orquídeas não costumam gostar da temperatura constante, pois estão acostumadas com as variações de aproximadamente 15ºc durante todo o dia e este é um dos fatores que impedem a floração.

Se estiverem fora de casa ou na varanda do apartamento, elas já vão estar vivendo esta variação naturalmente. Porém, é preciso ter o cuidado de levar as plantas para dentro, caso você more em uma região muito fria, em que as temperaturas consigam atingir valores abaixo de 15ºc à noite, como acontece em Curitiba ou outras cidades do sul do Brasil. Em cidades muito frias assim, você pode utilizar um papelão para isolar o frio existente entre planta e as janelas.

Se você não faz o cultivo nos ambientes externos a sua casa, a variação de 15º provavelmente não vai ocorrer, pois é difícil que isso aconteça em um ambiente interno. Além disso, a temperatura interna pode alcançar valores bem maiores do que 15ºc durante o dia. Nesses casos, você pode deixá-las, pela manhã e à tarde, em um ambiente aberto, como sacadas, pátio ou em janelas (protegidas do sol em todos os casos) e à noite, leva-las para dentro de casa.

Como descobrir a temperatura ideal?

Como na questão da luminosidade, o segredo está na observação. A planta também dá sinais que ajudam a identificar se a temperatura está adequada ou não:

– As folhas ficam moles e escurecem ao ficar expostas às temperaturas muito baixas. Como consequência, a planta fica mais frágil e não consegue se defender de bactérias ou fungos.

– As folhas ficarão amarelas ou pretas quando expostas a temperaturas muito altas, devido aos sinais de queimadura. Além disso, as pontas também podem ficar com a cor castanha e secas, ocorrendo quedas ou aparecimento de folhas deformadas. Mas se o calor for extremo, as orquídeas podem morrer, por isso, muita atenção e cuidado no verão e em dias muito quentes.

Ventilação

A umidade e a ventilação estão conectadas e, dependendo do meio em que você coloca a sua planta, se houver umidade, mas não houver ventilação, pode acontecer das raízes apodrecerem.

No ambiente natural dessas plantas, existe uma ventilação muito boa com a qual elas estão acostumadas. Sendo assim, é preciso tentar imitar ou reproduzir este ambiente no local de cultivo, pois o controle da ventilação e qualidade do ar são extremamente importantes para o crescimento.

Ao cultivar dentro de casa, recomenda-se que você mantenha a casa arejada, abrindo as janelas quando o tempo estiver quente para que o ar circule. Quando o dia estiver sem ventos, você pode utilizar um ventilador pequeno para possibilitar a circulação, pois a planta precisa de uma brisa suave e constante para diminuir os efeitos do calor excessivo e umidade.

Mas é preciso ter cuidado com o “tipo de ar”. Ar seco e quente são os ideais, já que os ventos frios e a umidade prejudicam, podendo provocar manchas e o apodrecimentos das hastes e botões.

Dica: como no inverno a água leva mais tempo para evaporar, aumente os cuidados nessa estação, para evitar o apodrecimento e outras males à planta.

Qualidade do Ar

Se você é fumante ou há pessoas que fumam na sua casa, nunca fume ou deixem que fumem perto das orquídeas. Também lave muito bem suas mãos antes de manuseá-las para evitar a contaminação porque o tabaco causa doenças para plantas. É isso mesmo, além de fazer mal para as pessoas e animais, ele também faz mal para as plantas.

Mas não é somente o cigarro e a sua fumaça que fazem mal para as orquídeas. Os poluentes atmosféricos que estão acumulados no ar, devido aos aerossóis e outras substâncias, também são muito nocivos.

A solução para evitar esse risco e diminuir a poluição do ar na sua casa é “escancarar” bem as janelas para o ar entrar e circular. Além disso, os filtros de ar também ajudam a remover a sujeira, poeira e outros poluentes, porém, não eliminam os gases.

Umidade e a Dose Ideal de Água

Um segredo importante é: você precisa regar a sua planta com ar e água, já que a orquídea usa o ar para absorver água. Por isso, regue a sua planta com água apenas quando o substrato estiver seco.

Pode parecer estranho, mas ao regar você deve fazer a combinação do ar e da água, pois se não tiver ar o suficiente, provavelmente haverá umidade em excesso. Isso pode fazer com que o meio apodreça e se torne mais suscetível às doenças causadas por infecções e fungos.

Outra dica importante: a frequência para regar vai depender da temperatura e da umidade. Você só deve regar quando o substrato estiver seco, mas lembre-se que nos dias de sol forte e muito calor a água tende a evaporar bem mais rápido.

A maneira mais simples e eficiente de saber o momento ideal para regar é verificar o peso com a planta molhada e, depois, com a planta seca. Portanto, regue quando o peso baixar muito. É por isso que as pessoas com experiência no cultivo utilizam balanças.

Caso você não tenha balança, pode usar um método tradicional e simples: basta enfiar o dedo aproximadamente 2,5 centímetros dentro do substrato para sentir a umidade. Se estiver seco, é o momento de regar.

Dica extra: Usar água morna no início do dia ajuda a planta a secar mais rápido. Isso diminui a chance de problemas como apodrecimento. Não precisa ter medo de regar com bastante água, apenas é preciso ter cuidado e ficar observando atentamente o substrato. Com essas dicas, você já pode começar a cuidar melhor de suas orquídeas. Mas, como estamos falando de uma flor especial, ela requer vários outros cuidados. Para mais informações, consulte um manual específico sobre o cultivo de orquídeas.

Veja Mais!

Grupo: Gazeta Sul Bahia

Compartilhe rápido por aqui:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Encantos do Nordeste

© 2021